segunda-feira, 28 de maio de 2018

GOLPE DESFEITO



Não durou mais do que dois dias o golpe promovido por uns poucos sócios do Sintasp, comandado pelo servidor e também sócio Oberdan, cabeça do movimento.

Utilizando-se de uma convocação inicial, que previa a discussão sobre 1/3 de férias, Plano de Cargos e Carreiras de servidores e eleição para diretores de escola, os líderes do movimento recolheram algumas assinaturas para a dita assembleia, induziram a justiça local ao erro e aplicaram um golpe no presidente Izaque Vale, destituindo-lhe do cargo que exerce à frente do Sintasp. Destituição essa que não estava prevista na Convocatória e sem dar-lhe o direito de defesa passaram por cima dos princípios constitucionais do devido processo legal, contraditório e ampla defesa. Isso sem falar que enganaram sócios, uma vez que alguns deles não sabiam o que de fato estavam assinando, além de desrespeitaram a decisão judicial, em razão de ela prever que a assembleia deveria ser realizada com o fim requerido.

Revoltados com o acontecido, os servidores, logo após a reunião de sábado, convocaram uma nova assembleia para a noite de hoje, 28/05, onde o golpe foi desfeito por centenas de sócios do Sintasp. 



Oberdan, o casal Pires, Soliney, Dr. Jardel, todos eles deram com os burros n’água. Um golpe mal arquitetado, que deixou a maioria dos sócios revoltados, e teve um fim triste para os líderes que comandaram esse plano falho e que, infelizmente, saíram dessa história menores do que entraram.



E não adianta a turma do quanto pior melhor dizer que o sindicato foi arrombado e que estava lacrado por ordem judicial. Quem lê a decisão do Juiz da 2ª Vara de Coelho Neto percebe que em momento algum ela fala em lacre, sendo esse ponto invenção daqueles que sonhavam com o golpe perfeito. A dita decisão diz apenas que a assembleia do sábado deveria ser realizada na forma requerida. Forma essa, conforme já dito, que não previa a questão da destituição do presidente Izaque Vale. Ademais, fajuta também é a argumentação de que na assembleia desta segunda só tinha funcionários contratados e comissionados do município. Com um mínimo de inteligência, concluímos também que esses servidores não votam e não interferem na atuação sindical do Sintasp, sendo que serão contabilizados apenas os votos daqueles sócios que participaram da reunião. E isso quem mostrará é a ata da assembleia que em poucas horas ou dias deverá ser disponibilizada. É o fim do golpe, que, se pensarmos bem, nunca existiu.



Quarto Poder 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddToAny