sábado, 19 de maio de 2018

Cabeleireira assassinada pelo ex-namorado tentou denunciá-lo, mas delegacia estava em greve.


Familiares da cabeleireira Aretha Dantas confessaram, após a prisão do ex-namorado e acusado Paulo Neto, que a vítima já teria tentado fazer uma denúncia de cárcere privado recentemente, mas não conseguiu sucesso. Na ocasião, a Delegacia da Mulher da Zona Sul alegou a greve e o registro acabou não sendo feito.

O Delegado Francisco Bareta, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, confirmou na manhã  ao que essa informação chegou à DHPP e prometeu investigar. “Ontem eu conversando com o advogado da vítima, eles me disseram que o acusado tinha colocado ela em cárcere privado. Disseram que ela havia procurado uma delegacia, mas alegaram que estava em greve e aí nenhum registro foi feito”, confirmou delegado Francisco Bareta.

O advogado da família de Aretha Dantas, Marcos Vinícius Nogueira, confirmou o fato. “A família nos relatou mesmo que ela foi à delegacia registrar esta denúncia de cárcere. Na ocasião, há mais ou menos umas três semanas, ele (Paulo Neto) havia a colocado em cárcere privado e todos a apoiaram a denunciar”, afirmou o advogado, acrescentando que ela foi à delegacia sozinha e posteriormente contou o fato aos familiares.

O delegado garante que providências serão tomadas. “Não foi feito esse registro e eu já até conversei com a delegada Luana sobre isso para ela oficializar se a delegada titular tomou ou não conhecimento da ocorrência policial”, disse. “Isso tem sim que ser investigado. Uma vida foi ceifada. Quem foi que deixou de agir, houve ou não omissão do Estado, da administração…e temos que ver também se a policia foi mesmo procurada”, defende o delegado.

(Do cidadeverde.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddToAny