LEIDE TUR

LEIDE TUR

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Caxias se destaca no cenário nacional com a exposição da Guerra da Balaiada na Câmara dos deputados.


A Prefeitura de Caxias, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Patrimônio Histórico, Esporte, Turismo e Juventude, trouxe a Brasília-DF uma mostra e exposição sobre a Guerra da Balaiada.







Na Capital Federal foi o deputado Federal André Fufuca (PP-MA), 2º vice-presidente da Câmara dos Deputados que deu o apoio necessário e atendeu ao pedido do prefeito de Caxias Fábio Gentil, para que fosse feito a exposição em alusão aos 180 anos do movimento.

 A exposição iniciou em 30 de maio, e vai até 18 de julho. Com o tema “A Luta sem Fim,” a mostra poderá ser visitada de segunda a sexta, das 9 às 17 horas.

A historiadora Mercilene Torres, que também é coordenadora do Memorial da Balaiada, faz um importante trabalho aqui em  Brasília,  explicando aos visitantes os diferentes nuances históricos da Revolta da Balaiada com um jeito que só ela sabe fazer.

Nesta quinta-feira, 07, a Câmara realizou uma sessão solene para homenagear os 180 anos da luta maranhense e contou com a presença de Paulo Marinho Júnior, vice-prefeito de Caxias, que na solenidade representava o prefeito Fábio Gentil; Arthur Quirino, secretário municipal de Cultura, Patrimônio Histórico, Esporte, Turismo e Juventude; e a historiadora Mercilene Torres, que já está em Brasília.

A sessão foi presidida pelo requerente André Fufuca, que disse que a Balaiada foi importante para a manutenção da integridade territorial e para a formação da identidade brasileira. Segundo André Fufuca, os motivos que levaram a então província a se rebelar, “Além da situação nacional de instabilidade política e necessidade de reformas, foi à disputa entre cabanos e bem te vis, o recrutamento militar arbitrário e a organização econômica e social do Maranhão na primeira metade do século 19.

O deputado federal Zé Carlos fez um histórico discurso  lembrando que um dos motivos que levou ao levante da Balaiada foi a violência que era cometida contra os trabalhadores rurais e mais pobres. Segundo o deputado, o Maranhão ainda hoje é o segundo maior estado em número de homicídios no campo, ficando atrás somente do Pará. O parlamentar falou embasado no relatório mais recente apresentado pela Comissão Pastoral da Terra (CPT).
O vice-prefeito de Caxias Paulo Marinho Júnior externou a sua satisfação em retornar a Câmara Federal para uma sessão solene tão importante do ponto de vista histórico e cultural. Para o jovem politico isso vai além do resgate da história.  


A Guerra da Balaiada foi uma revolta popular mais famosa do Maranhão, e Piauí que aconteceu no período regencial entre 1838 e 1841,  por gente simples contra os grandes proprietários rurais da região, insatisfeitos com a miséria, a escravidão, a fome e os maus-tratos, num tempo cruel.

Entre seus líderes da Balaiada estão Raimundo Gomes, Francisco Ferreira e Negro Cosme, que chefiava um grupo estimado em 3 mil escravos.

A iniciativa da prefeitura de Caxias em comemorar em grande estilo os 180 anos da Guerra da Balaiada inclusive com a exposição que está acontecendo na Câmara e a sessão solene desta quinta-feira, 07, eleva o nome do município a lugar de destaque em nível nacional, na rota do Turismo na região nordeste.
                                            

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddToAny